Como um atendimento psicológico pode ajudar na pandemia?

São Paulo/SP 27/10/2020 – “Nesse contexto, a atuação do psicólogo torna-se relevante, com o objetivo de realizar uma escuta qualificada, buscando um diagnóstico e tratamento adequados”.

Diversos fatores consequentes da pandemia podem acarretar risco a saúde mental do indivíduo, levando até a um quadro mais grave de ansiedade, medo e depressão.

Isolamento e distanciamento social e um modo de vida diferente para evitar a propagação da COVID-19 tem gerado, segundo a psicóloga Valéria Braz dos Santos, um processo de adaptação a uma realidade que vem impactando diretamente na saúde física e psicológica da maioria das pessoas. “A consequência disto tem sido o desenvolvimento de um sofrimento de natureza psíquica, que pode estar relacionado a diversas questões, tais como o medo de ser acometido pelo vírus, prejuízos financeiros e incertezas sobre os métodos de prevenção e proteção, questões que podem ser agravadas ainda pelo repasse de notícias falsas.”

Valéria afirma que esses fatores podem acarretar risco a saúde mental do indivíduo, levando até a um quadro mais grave de ansiedade, medo e depressão, por exemplo, que por sua vez pode ocasionar em uma necessidade de intervenção. O psicólogo pode ajudar no acolhimento da pessoa que esteja com dificuldade em lidar com a insegurança, falta de esperança e tristeza, ressignificando estes sentimentos a fim de aliviar o sofrimento psicológico.

A demanda por intervenção psicológica, em alguns casos, torna-se necessária para evitar maiores complicações à saúde mental e qualidade de vida. “Nesse contexto, a atuação do profissional de psicologia torna-se relevante, com o objetivo de realizar uma escuta qualificada sobre a queixa do indivíduo, buscando um diagnóstico e tratamento adequados para se restabelecer o bem-estar do paciente.”

A psicóloga destaca ainda que, diante deste novo cenário mundial, o atendimento psicológico por meio de tecnologias da informação e comunicação, seja via internet ou telefone, é uma alternativa muita adequada. “É importante ressaltar que esse tipo de atendimento é regulamentado pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP) e para realizá-lo o profissional deve fazer cadastro junto ao Conselho, além de seguir todos as orientações fornecidas por este órgão regulamentador”, conta Valéria, enfatizando que para enfrentar este momento de crise ocasionado pela pandemia, procurar um psicólogo para cuidar da saúde mental é uma ação significativa de autocuidado. 

Artigo de