Com mais de 70 anos dedicados à veterinária, especialista aposta na homeopatia

Campo Grande, MS. 10/9/2020 – Quebrando inúmeros paradigmas ao longo de sua história, Claudio Martins Real demostra que o amor à vida extrapola as barreiras do convencional. 

Entre os acontecimentos icônicos de 1926 está a morte do “Grande Houdini”, o escapologista e ilusionista que ficou famoso mundo afora por suas peripécias. Aqui no Brasil, Heitor Villa-Lobos estreava o seu Choro N° 10. Em 11 de fevereiro daquele longínquo ano nascia, em Capão do Leão, pequeníssimo distrito de Pelotas (RS), o filho mais novo do comerciante Francisco Real.

De lá para cá o que se desenrola é uma longa história com mais de 70 anos dedicados ao estudo, ensino e pesquisa da medicina veterinária e da homeopatia. Hoje aos 94 anos, o Professor Claudio Real está entre os mais antigos médicos veterinários em exercício no País.

Se nos tempos atuais o acesso ao ensino superior ainda é complicado, na década de 1950 o feito era privilégio para poucos. Entretanto, o jovem Claudio graduou-se na Universidade Federal do Rio Grande do Sul e, com apenas 24 anos, tornou-se o professor catedrático mais jovem do País, passando a lecionar na mesma instituição.

O cientista carregava desde muito novo uma paixão explicita pela homeopatia. A predileção lhe fora despertada no exemplo do pai, grande defensor da terapêutica. Francisco Real, por sua vez, aderiu à homeopatia após salvar um filho acometido de grave doença. Pouco tempo antes ele havia perdido outro filho por doença similar, não conseguindo sucesso com tratamentos convencionais da época. 

Soma-se a isso o baixo custo, que tornava a homeopatia bastante acessível e determinante para salvar muitas vidas, numa época em que muito pouco se investia na saúde dos animais. 

Uma ex-aluna conta que, certa vez, em prova dissertativa, a problemática passada pelo professor Claudio envolvia uma família bastante humilde que possuía um cãozinho com grave doença e carente de urgente tratamento. A resposta devia incluir um receituário médico com o tratamento indicado. A mencionada aluna incluiu os melhores e mais caros medicamentos da época. Espantada por não receber uma nota altíssima, a jovem questionou o professor, recebendo a seguinte explicação: “Essa família não consegue pagar por esses remédios caros”. 

Muitos anos já se passaram desde a sua aposentadoria como docente, mas o empenho em defender a homeopatia e o amor aos animais acompanha a carreira do professor até os dias atuais. Repassados aos filhos pelo exemplo, dois deles médicos veterinários, os valores do professor culminaram em uma das maiores e mais respeitadas empresas de nutrição e saúde animal do Brasil. Hoje a Real H, empresa da família, emprega mais de 30 médicos veterinários e mais de 300 profissionais de inúmeras outras áreas.

Ao decorrer dessa longa história, Dr. Claudio Real também foi empossado o primeiro presidente da Academia Sul-Mato-Grossense de Medicina Veterinária, em 2018. Em 2007 recebeu o prêmio “Paulo Dacorso Filho”, a maior distinção a ser concedida por um médico veterinário pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária, e ainda, título “Grã Cruz do Mérito Veterinário Brasileiro”, concedido pela Sociedade Brasileira de Medicina Veterinária em 2010. Ele também é reconhecido como “Precursor da Homeopatia Veterinária Brasileira” pela Associação Brasileira dos Médicos Veterinários Homeopatas, além de vários outros feitos.  

Quebrando inúmeros paradigmas ao longo de sua história, Claudio Martins Real demostra que o amor à vida extrapola as barreiras do convencional. 

Website: https://realh.com.br/claudio-martins-real/

Artigo de