Indústria farmacêutica amplia produção de medicamentos para tratamento de Covid-19 e investe em medidas de proteção para trabalhadores

Belo Horizonte, MG 10/9/2020 –

As indústrias farmacêuticas estão passando por um momento de grandes desafios no Brasil. Ao mesmo tempo em que adotam medidas de restrição para evitar o risco de contágio do coronavírus no ambiente de trabalho, as empresas do setor são demandadas a ampliar a produção de medicamentos para atender os hospitais que tratam de pacientes com Covid-19.

A Hipolabor, indústria farmacêutica que tem unidade administrativa em Belo Horizonte e fábricas em Sabará e Montes Claros, é uma das que estão registrando resultados expressivos na produção de medicamentos, principalmente, destinados a pacientes internados em unidades de tratamento intensivo (UTIs). De março a junho deste ano, a empresa aumentou a fabricação do sedativo Citrato de Fentanila em 106% na comparação com o mesmo período do ano passado. Já a produção do analgésico Cloridrato de Midazolam, também usado para a sedação, cresceu 142% no período.

Desde o início da pandemia, a Hipolabor priorizou a produção de medicamentos direcionados ao tratamento de pacientes intubados. A empresa, inclusive, antecipou o início das operações na unidade fabril em Montes Claros (MG) —a maior fábrica de medicamentos genéricos de Minas Gerais— para o mês de agosto, com o objetivo de expandir a fabricação de anestésicos e relaxantes musculares destinados para hospitais que recebem pacientes com Covid-19. O número de funcionários na empresa aumentou 16% e há cerca de 100 vagas abertas, principalmente, para atuação na unidade de Montes Claros.

De acordo com o presidente da empresa, Renato Alves, o aumento expressivo na quantidade de medicamentos produzidos é fruto de investimentos constantes, que fazem parte do plano de expansão da empresa no país. Segundo ele, somente para a inauguração da fábrica da Hipolabor em Montes Claros, foram destinados cerca de R$ 180 milhões. “Com a alta na demanda por medicamentos para intubação de pacientes e a consequente falta de sedativos e relaxantes musculares para esse atendimento que o mercado tem enfrentado, decidimos ampliar nossa produção. As expectativas para o segundo semestre também são positivas: estimamos dobrar o volume de produção”, revela.

Em paralelo ao aumento da produção, a empresa investiu em ações de prevenção e combate à Covid-19 no ambiente de trabalho. Para garantir a segurança dos colaboradores, a Hipolabor adota uma série de medidas de prevenção e enfrentamento à Covid-19. Desde o início da pandemia, foi criado o “Comitê de Enfrentamento à Covid-19”, composto por uma equipe multidisciplinar com consultoria especializada em medicina e enfermagem do trabalho e Covid-19. O grupo é responsável por discutir as medidas de prevenção, bem como o afastamento de colaboradores com a suspeita de terem contraído o novo coronavírus e possíveis métodos de testagem para esses colaboradores. Também foram adotadas medidas rigorosas de higienização e de proteção individual, como o uso de máscaras, álcool em gel e “face shield”. “As medidas são fundamentais para garantir a segurança de nossos colaboradores, que seguem desempenhando um serviço essencial para toda a população”, acrescenta Alves.

Website: http://www.hipolabor.com.br

Artigo de