Pesquisa mostra os estados que mais buscam plataformas EAD no Brasil

Belo Horizonte, MG 22/2/2021 – O primeiro estado do ranking é São Paulo, responsável por mais de 28% das buscas.

Desde março de 2020, o volume de pesquisas cresceu 123% comparado ao mesmo período do ano anterior

O ensino à distância nunca esteve tão em alta quanto nos últimos meses. Apesar de já ser uma forma conhecida no Brasil, a pandemia e o isolamento social fizeram com que escolas, universidades, cursos de extensão e qualquer tipos de ensino do Brasil inteiro tivessem que se adaptar ao EAD para, assim, continuarem ministrando seus conteúdos e não deixarem os alunos desamparados.

Por conta disso, as buscas por plataformas de ensino à distância cresceram mais de 123% comparado ao mesmo período do ano anterior. Foi criada uma tabela com os estados do Brasil que mais buscaram ferramentas EAD desde então.

A Innovio, plataforma de ensino à distância , fez um levantamento dos estados que mais buscaram empresas que oferecem produtos e serviços EAD para se adaptarem o mais rápido possível ao novo normal.

O primeiro estado do ranking é São Paulo, responsável por mais de 28% das buscas. No total, ele conta com mais de 31 mil instituições de ensino, segundo a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo.

Em segundo lugar se encontra Minas Gerais, com mais de 16 mil instituições de ensino. Mais de 11% das buscas foram dos mineiros. Logo depois estão Rio de Janeiro, Bahia, Paraná, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Ceará, Santa Catarina e Distrito Federal.

“Acredito que a nossa plataforma oferece um layout flexível e se adapta facilmente a diferentes propósitos, como, por exemplo, às instituições de ensino, professores autônomos, desenvolvedores, agências, empreendedores e startups”, explica Rafael Müller, criador da Innovio.

Como funciona a plataforma para EAD

A Innovio apresenta, inicialmente, dois tipos de utilizadores: administrador e aluno. Caso seja necessário o cadastro de diversos professores e funcionários, é possível ativar a opção de multiprofessores criando, então, um terceiro nível de acesso.

Depois disso, é necessário instalar a plataforma EAD e isso acontece em poucos passos. Basta configurar o portal, os cursos, o gateway de pagamento, as chaves de API do YouTube e Vimeo para as videoaulas. Depois disso, é necessário definir as configurações dos instrutores e SMTP, inserir a logomarca e criar as categorias dos cursos.

Os cursos podem ser criados com o gerenciador de aulas e seções avançadas. O currículo e outras configurações de um curso são organizados de forma tão intuitiva que qualquer pessoa pode facilmente publicar um curso.

Os alunos podem se matricular em seus cursos favoritos. Há muitas opções de filtros para escolha do curso certo. Uma página dedicada a “meus cursos” fica disponível para o aluno ver a lista de cursos comprados. Os alunos podem começar ou continuar os estudos a partir de qualquer dispositivo, em qualquer momento e em qualquer lugar. Eles também podem salvar um curso na lista de desejos para compras futuras.

O administrador pode permitir que qualquer instrutor crie e envie cursos. Os recebimentos podem ser divididos de acordo com a taxa de comissão definida no site. Depois de um instrutor criar um curso, o administrador precisa aprová-lo para começar a vender.

O relatório detalhado de pagamento é mostrado no painel administrativo. A opção de visualização do relatório com base na data é projetada para facilitar a compreensão do crescimento do negócio e do status de inscrições no curso.

“As buscas me incentivam a trabalhar ainda mais para oferecer a plataforma para cursos on-line em todos os lugares do Brasil e do mundo. Queremos crescer com responsabilidade e oferecer sempre o melhor para nossos clientes”, finaliza Müller.

Crescimento das cidades ou estados
1 – São Paulo (26,70%)
2 – Minas Gerais (11,87%)
3 – Rio de Janeiro (10,43%)
4 – Bahia (5,62%)
5 – Rio Grande do Sul (5,02%)
6 – Paraná (4,80%)
7 – Goiás (4,10%)
8 – Santa Catarina (3,93%)
9 – Pernambuco (3,53%)
10 – Ceará (2,87%)

Faixa etária
25-34 (33,33%)
18-24 (24,27%)
35-44 (17,92%)
45-54 (12,89%)
55-64 (6,84%)
65+ (4,76%)

Gênero
Feminino (52,60%)
Masculino (47,40%)

Website: https://innovio.com.br

Artigo de