Conto: O preço da Traição

Acervo Pessoal

Conto : O preço da Traição

Nossa história começa em um bairro de uma cidade que compõe a grande São Paulo: Rio Grande da Serra. Local que nos meses de outono e inverno, pela sua proximidade da serra do mar, quando chega às 15h, a cidadezinha fica coberta por uma forte neblina, um cair da tarde orvalhado e o cheiro das flores do campo enche de  aroma através das plantas nativas da serra atlântica.

Este é o cenário, a menos de 30 km da maior cidade do Brasil, onde nasceu e cresceu a nossa personagem central deste conto.

Maria nasceu em Rio Grande e ali cresceu sob os cuidados de seus pais e seus três irmãos. A única menina e a mais nova da família era toda paparicada e as atenções sempre voltada para a princesinha da casa. Em uma infância feliz desde a tenra idade, sempre gostou de modas, criava os vestidos para sua boneca e promoveu concurso de beleza e dança entre ambas, assim foi a infância da nossa protagonista.

Maria adolescente nos dias de carnaval, ia com seus pais e irmãos assistem os desfiles de Escolas de Samba na vizinha Cidade de Mauá, era uma noite esperada pela menina durante todo ano o cortejo das entidades deixava a bela encantada, quando da passagem do Casal, seus olhos impregnava na bela dama que conduzia a bandeira, neste instante pelas belas vestimentas viaja ao mundo das fadas e das cinderelas pelo brilho da fantasia.

Após a festa, passava meses e meses se imaginando uma porta bandeira, brincava com seus irmãos, apanhava um pau de vassoura outra hora um rodo, colocava uma toalha de banho e saia rodando, rodando e se sentia uma rainha em seu mundo imaginário, era a atração para amigos e parentes que se confraternizavam na confortável casa da família nos finais de semana.

Quando Maria completou 14 anos, insistiu com seus pais para que a colocassem no curso para porta bandeira. A insistência foi tanta que seu irmão mais velho se colocou a disposição para acompanhá-la neste curso que era realizado em São Paulo pela Amespbeesp.

Foram dois anos de aprendizado de história e dança e a cada sábado de aula era dia de felicidade para esta menina que encarava o processo com muita responsabilidade. Maria conseguiu um grande desenvolvimento e ao final do segundo ano de curso, apareceu uma boa proposta para ela ser primeira porta bandeira em uma escola grupo de Acesso 2 de sampa.

(final da primeira parte)

Texto de Ednei Mariano e Wesley Bj.

Artigo de

Redação Sampa