Outubro Rosa: a conscientização ainda é a melhor forma de prevenção contra o câncer de mama

Curitiba, PR 1/10/2020 – Até o final de 2020, segundo o INCA, o Brasil terá cerca de 66 mil novos casos da doença

Com diagnóstico e tratamento precoce da doença – segundo tipo de câncer que mais acomete as mulheres brasileiras – a chance de cura da doença é de até 95%

O câncer de mama é o segundo tipo mais frequente entre as mulheres brasileiras e representa cerca de 25% dos cânceres que afetam o sexo feminino, perdendo apenas para o câncer de pele – não melanoma. Até o final de 2020, segundo o INCA, o Brasil terá cerca de 66 mil novos casos da doença. O Estado do Paraná é o quinto do país em número de casos deste tipo de câncer, com estimativa de 3.470 casos nesse ano.

A boa notícia é que o diagnóstico precoce aumenta (e muito) as chances de cura do paciente. Se o tumor for detectado pela mamografia, em sua fase inicial, quando ainda não é perceptível ao toque, a probabilidade de cura chega em 95%. Por isso, iniciativas de conscientização como a campanha Outubro Rosa são fundamentais para o sucesso do tratamento.

Desde 2002 o Brasil se veste de rosa! Nesse mês, para informar mulheres sobre as formas de prevenção, diagnóstico e tratamento da doença, o país é mobilizado numa verdadeira corrente de amor pela vida. E a campanha tem surtido efeito: a mortalidade do câncer de mama no país é baixa em relação à média mundial.

Não há uma causa única. Diversos agentes estão relacionados ao desenvolvimento da doença entre as mulheres: envelhecimento (a partir dos 40), histórico familiar, fatores relacionados à vida reprodutiva da mulher (idade da 1ª menstruação, ter tido ou não filhos, ter ou não amamentado, menopausa), consumo de álcool, excesso de peso, atividade física insuficiente. A IARC – Agência Internacional para Pesquisa em Câncer – comprovou que hábitos de vida saudáveis podem evitar 30% dos tumores da mama.

Informação salva vidas

A principal missão do Outubro Rosa é reforçar a importância da detecção precoce e divulgar informações para que as mulheres façam exames regulares e monitorem a sua saúde. O câncer de mama também pode acometer os homens, mas eles representam somente 1% dos casos.

O autoexame deve ser feito frequentemente para verificar a presença de algum nódulo nos seios ou nas axilas, acompanhado ou não de dor. O Ministério da Saúde orienta que a mamografia seja realizada em mulheres com idade entre 50 e 69 anos (exceto em situações de risco, quando os exames devem começar mais cedo), com intervalo variável, dependendo de cada caso. Nas mulheres que realizam o exame rotineiramente, o índice de mortalidade da doença diminui em cerca de 20%, conforme os dados do INCA.

A radioterapia no combate ao câncer de mama

A radioterapia é um dos mais importantes tratamentos oncológicos e pode ser indicada para combater o câncer de mama em diferentes casos. “Após a cirurgia conservadora da mama, para diminuir as chances de recidiva na mama ou nos linfonodos próximos; após uma mastectomia, principalmente se o tumor tinha mais de 5 cm de diâmetro ou envolvimento axilar; e ainda se o tumor estava se espalhando para outros órgãos. Cada paciente é visto de forma individual e tem uma conduta médica totalmente adaptada para o seu caso”, explica Maíra Neves, médica radio-oncologista do Instituto Radion – especializado em radioterapia avançada.

O método que utiliza radiação ionizante para destruir o tumor cancerígeno é parte importante do tratamento multidisciplinar no câncer de mama, podendo ser aplicado em tumores inicias, assim como adjuvante à cirurgia, ou combinado com a quimioterapia e terapia hormonal, no caso de tumores mais avançados.

O Instituto Radion de Oncologia e Radioterapia, referência no Paraná no tratamento do câncer, apoia o Outubro Rosa todos os anos. “Ampliar o entendimento de que a prevenção é a melhor estratégia é o que nos motiva nesta campanha. Nos envolvemos não só na campanha cor de rosa, mas em todas as outras campanhas coloridas que têm o objetivo de alertar sobre possíveis sintomas e a possiblidade de cura, quando do diagnóstico precoce”, complementa a especialista.

Ao aliar a experiência de seu competente corpo clínico com tecnologia de ponta, o Instituto Radion oferece soluções inovadoras de tratamento do câncer que possibilitam mínima interferência na vida dos pacientes, já que os efeitos adversos se limitam à região tratada.

E para as pacientes que já têm o diagnóstico: converse com seu médico sobre a melhor abordagem e cuidados!

Website: http://institutoradion.com.br/

Artigo de