Nordeste cancela festas de São João por causa de pandemia

imagem: divulgação

O evento é considerado a maior festa popular do País depois do Carnaval
Os festejos de São João, um das maiores festas populares do Nordeste, que ocorre em junho, foram cancelados em vários estados. Em alguns casos, pela primeira vez, a festa terá sua versão fora de época no final deste ano. Em Caruaru, uma das maiores festas juninas do Nordeste, a data da festa, que reúne cerca de 3,2 milhões de pessoas, ainda não foi divulgada.
Em Campina Grande, na Paraíba, o São João reúne cerca de 2 milhões de pessoas no Parque do Povo. Este ano, o festejo seria entre 5 de junho e 5 de julho, mas, devido à epidemia do novo coronavírus, foi adiado para entre 9 de outubro e 8 de novembro. Adiar a 37ª edição do evento para o final do ano foi o jeito que a Prefeitura da cidade encontrou para atender tanto as recomendações de saúde, de evitar aglomerações, quanto aos grupos econômicos que lucram com o festejo (sobretudo o setor turístico), que movimenta cerca de R$ 250 milhões.
As prefeituras de pelo menos 12 cidades baianas também decidiram cancelar suas tradicionais festas de São João 2020 em meio ao cenário de pandemia pelo novo coronavírus. Os primeiros municípios a suspenderem os festejos foram Conceição do Almeida e Vitória da Conquista. Outras 10 cidades assinaram um termo conjunto de não realização dos seus eventos.
Conhecidas por suas grandes festas, as prefeituras de Amargosa, Ibicuí, Senhor do Bonfim, Irecê, Miguel Calmon, Seabra, Itaberaba, Piritiba, Cruz das Almas e Santo Antônio de Jesus entraram em acordo de cancelamento. Os gestores levaram em conta o alerta sobre o pico de casos de contaminação na Bahia, previsto para o mês de maio e junho, assim como o decreto de estado de emergência no estado.
Celebradas no Brasil desde pelo menos o século XVII, as Festa Juninas constituem a segunda maior comemoração realizada pelos brasileiros, ficando atrás apenas do Carnaval. De acordo com os historiadores, a festa tem origem no culto aos deuses pagãos, mas sofreu influências do catolicismo e hoje há forte associação com os santos católicos, como Santo Antônio, São João e São Pedro.
Com a chegada dos portugueses, as festas, que já eram típicas na Europa, também desembarcaram no Brasil e aos poucos foram se misturando com elementos próprios do interior do país e das tradições sertanejas. Comidas típicas, danças e enfeites utilizados nas festas de hoje são uma junção de partes da cultura africana, europeia e indígena.
Atualmente, há uma grande valorização das festas juninas na região Nordeste. Em Campina Grande, na Paraíba, por exemplo, acontece o maior festejo do país, com queima de fogos, fogueira gigante, concurso de quadrilhas e diversas barracas típicas com jogos e comidas.

Ubiratan Miranda

Compartilhe com os amigos:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Fique por dentro

Assine Nossa Newsletter

Fique por dentro das novidades que a redação da Sampa prepara pra você

Veja também

Posts Relacionados

O ventre

No último dia 25, foi comemorado o Dia da África. Que não é um dia festa, mas de reflexão, daquilo que é o continente para

Scroll to Top