Fábio Gouveia conta sobre seu retorno à Nenê de Vila Matilde

Carnavalesco esteve na agremiação da Zona Leste em 2018, ao lado de Lucas Pinto

Fábio Gouveia, novo carnavalesco da Nenê de Vila Matilde. Foto: Divulgação

Neste domingo (28), através de suas redes sociais, a escola de samba Nenê de Vila Matilde anunciou Fábio Gouveia como novo carnavalesco. 

O carnavalesco e artista plástico Fábio Gouveia teve sua primeira passagem pela Nenê de Vila Matilde em 2018, ao lado de Lucas Pinto, levando ao Anhembi o enredo “A Epopeia de Uma Deusa Africana”. Tendo uma grande experiência no Carnaval de São Paulo e Santos, Fábio já passou por escolas de samba como Imperador do Ipiranga, Independente Tricolor e Colorado do Brás.

Convidado pelo diretor de Carnaval e pelo presidente da Nenê de Vila Matilde, Fábio conta que sempre foi um sonho ter sua assinatura no Carnaval da escola, o que o motivou a querer estar nela. “Nunca escondi meu amor a Nenê, mesmo sendo um profissional do Carnaval”, afirma.

A última passagem de Fábio no Carnaval paulistano como carnavalesco havia sido pela Independente Tricolor, em 2020. Para o artista plástico, retornar à Nenê foi um resgate, pois havia desistido de trabalhar no evento em São Paulo, ficando apenas com a escola de samba Brasil de Santos, localizada no litoral paulista.

Próximo Carnaval

Em 2022, a Nenê de Vila Matilde desfilará pelo Grupo de Acesso 2 com o enredo: “A Odisseia da Áquila – Um Voo Para o Futuro”, o qual a escola contará a história do símbolo da agremiação, a águia. O carnavalesco afirma que os desafios para o próximo Carnaval são inúmeros, e que a agremiação precisa de uma trégua, de amor e que tudo seja somente visto em prol do pavilhão. 

“Sou muito otimista, acredito que sempre é possível, não teremos a Nenê dos anos 90 mas poderemos construir uma outra audaz e altaneira, se todos estiverem mesmo dispostos, uma nova e competitiva escola com os pés no chão e os olhos lá na frente.”, conta.

Por conta da pandemia de Covid-19, Fábio diz não ter certeza sobre quando será o próximo desfile, mas mesmo com esta situação, a escola precisa se reorganizar, e afirma já estar trabalhando há alguns dias nesta questão.

“O presidente está motivado, me acolheu e ouviu meus pensamentos. A direção de Carnaval e a equipe que estou levando também está muito afinada, então, ‘bora’ trabalhar”, finaliza.

Victoria Vianna