Medicina no Brasil: processo de acreditação está entre os requisitos esperados de faculdades

São José do Rio Preto, SP 5/1/2021 – É um parâmetro de que estamos no caminho certo para oferecer uma formação médica de excelência”. Dr. Toufic Anbar Neto, diretor da FACERES.

O aperfeiçoamento no ensino é uma das preocupações para formar um profissional capacitado e íntegro dentro de sua atuação.

O cenário atípico de 2020 provocado pela Covid-19, interferiu no processo educativo da formação médica, exigindo uma reestruturação emergencial de novas competências, de modo a se encaixarem ao formato de ensino imposto pela pandemia.

De forma repentina, as faculdades de medicina viram a necessidade de introduzir aulas remotas, que, passaram a ser o novo normal, trazendo diferentes desafios, como manter a qualidade das aulas, mesmo havendo mudanças na infraestrutura e alterações para adequação acadêmica.

A formação de um profissional íntegro, hábil e competente, além de ser fundamental na área da saúde, passou então a ser desafiada em manter o ritmo e qualidade do ensino permitindo maior interação e reconhecimento.

De acordo com o Conselho Federal de Medicina (CFM), o Brasil conta com um total de 523.528 registros ativos de médicos nos 27 Conselhos Regionais de Medicina. Somente de janeiro a maio de 2020, o Brasil passou a contar com 9.653 novos médicos.

São profissionais que concluíram sua graduação em escolas do País e fizeram seus registros nos CRMs. Apenas em três estados – São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais – estão concentrados 37,1% desse total. O aperfeiçoamento no ensino é uma das preocupações para formar um profissional capacitado e íntegro dentro de sua atuação.

O processo de acreditação melhora a qualidade do ensino e, melhorando a formação, qualifica-se o sistema de saúde como um todo.

No interior de São Paulo, em São José do Rio Preto, a rotina de ensino da faculdade de medicina FACERES, sofreu adaptações para manter o conhecimento dinâmico e atualizado. Diante de todas as mudanças e adversidades, a instituição obteve o reconhecimento do SAEME (Sistema de Acreditação de Escolas Médicas), órgão que avalia as escolas médicas de todo o Brasil.

É uma avaliação promovida pela ABEM (Associação Brasileira de Educação Médica) e pelo CFM (Conselho Federal de Medicina – entidade que reúne todos os Conselhos Regionais de Medicina).

A qualificação leva em consideração mais de 80 indicadores em sua avaliação, entre eles gestão, estrutura física, recursos educacionais e qualificação docente.

Existem hoje 349 escolas médicas em todo o país, mas somente 36 contam com a acreditação do SAEME; no estado de São Paulo, o número de faculdades de medicina acreditadas é bem reduzido, sendo apenas 7 instituições reconhecidas pela avaliação. “Estamos sempre em busca da excelência. Os próximos passos são o reconhecimento por outras entidades científicas estrangeiras e a inclusão no Teste de Progresso europeu”, afirma Dr. Toufic Anbar Neto, diretor da faculdade.

Concomitante a essa acreditação, a FACERES recebeu também o reconhecimento pela WFME – World Federation of Medical Education (Federação Internacional de Escolas Médicas).

O curso de medicina da FACERES, criado em 2012, atinge com essa certificação, um patamar alcançado por poucas escolas médicas do Brasil: reconhecido pelo MEC, ABEM, CFM e AHA (Associação Americana de Cardiologia).

Para o diretor da faculdade, as certificações sinalizam que o trabalho está na direção correta. “É um parâmetro de que estamos no caminho certo para oferecer uma formação médica de excelência”, finaliza Dr. Toufic.

Website: https://faceres.com.br

Artigo de