O preço da traição segunda parte

arte: Wesley Bj

Maria não se continha de tanta alegria, saltitava de um lado para o outro, motivo maior de felicidades era que a Escola de que recebeu o convite para defender o Pavilhão ficava na zona leste da Cidade o bairro fazia divisa com a cidade de Santo André, caminho fácil para chegar em Rio Grande da Serra.

Maria começou perseverante sua caminhada como primeira Porta Bandeira, isso lhe valeu em três carnavais sucessivos a nota máxima no quesito, aos poucos foi sendo reconhecido seu trabalho na categoria e na comunidade. Sua dança estava em perfeita sintonia com a do seu Mestre Sala, e disso resultou em uma linda
amizade que transpôs o ambiente da Escola de samba, tornaram-se amigos de família, um frequentando a casa do outro, a relação foi crescendo dia a dia e se tornou amor e desse amor veio a união em matrimônio. 

Tudo era felicidade na vida de Maria com Luiz, seu mestre em dança e esposo no lar. 

A relação do casal com a escola era muito forte, mas da dupla Maria era a mais popular em convivência que dá desde com os passistas, passando pela harmonia, as baianas eram todas suas tias e avós no tratamento carinhoso enfim depois de cinco anos na Escola era unânime em popularidade, até aqueles em quem
despertava ciúmes cediam diante de tamanha popularidade, assim Maria se tornou o diamante desta diretoria.

Os anos foram se passando agora nossa protagonista com 22 anos, teve que trabalhar com o primeiro problema. Luís recebeu uma bela proposta de trabalho, e neste novo emprego com folgas rotativas não poderia se dedicar 100% no prepara de sua performance para continuar presentes nas diversas apresentações
durante o ano e interferiria em seu preparo para o dia de defender a nota pela escola.

Maria e Luís resolveram em casa de que o melhor para a parceira e para a Escola o melhor seria ele entregar o cargo.

Final da segunda parte, continua….

Texto: Ednei Maria e Wesley Bj.

Artigo de

Redação Sampa