Mercado imobiliário brasileiro chama atenção de investidores árabes

São Paulo 15/10/2020 – Esse anuncio promete agitar o mercado imobiliário brasileiro, inclusive, Anas-Dipsawi, se prepara para vir ao Brasi

O empresário é o principal responsável pelas negociações imobiliárias dos milionários árabes, além de ser o encargado oficial das negociações imobiliárias da família real dos Emirados.

Estabilidade é a chave para financiamento imobiliário alternativo hoje no Brasil. A expansão do crédito imobiliário nos próximos anos está condicionada à capacidade do setor de atrair recursos do mercado de capitais. As fontes que bancaram os projetos até aqui — poupança e FGTS — não vão se esgotar tão cedo, mas serão insuficientes para atender a demanda.

Segundo estudos do Banco Central Brasileiro, hoje o mercado imobiliário brasileiro é quase todo financiado por FGTS, poupança e crédito bancário, bem diferente do que ocorre nos Emirados Árabes comentou Anas-Dipsawi.

O fenômeno dos fundos de investimentos imobiliários registrados nos últimos dois anos vai se intensificar e permanecer por um bom tempo no País, desde que as condições macroeconômicas permitam a manutenção dos juros baixos. O diagnóstico, apresentado de forma unânime por especialistas reunidos no Summit Imobiliário 2020, aponta também novas formas de financiar o setor.

A manutenção de um cenário com juros baixos e inflação sob controle é uma premissa para qualquer tipo de discussão sobre formas alternativas de financiamento imobiliário, segundo o empresário e influencer árabe, Anas-Dipsawi, proprietário das empresas Mad Luxury e Disruptive, anunciou na última quarta-feira, em sua conta do Instagram que voltará seus olhares com mais atenção para mercado do Brasil.

Para ele, com a maturação do mercado, tanto as soluções de financiamento quanto as de crédito vão começar a surgir fora dos sistemas tradicionais. “O interessante é termos mecanismos onde os fundos de investimentos imobiliários possam carregar dívidas no longo prazo, mas, ao mesmo tempo, oferecer liquidez para o investidor no curto prazo.

As pessoas nem sempre vão carregar dívidas por 30 anos ou mais”, diz.

Dipsawi, é o empresário número um, no mercado imobiliário em Dubai, liderança que já́ ocupa há alguns anos e a cada dia que passa tem feito mais sucesso nesse mercado.

Com a alta do dólar e desvalorização da moeda brasileira, Anas-Dipsawi quer começar a vender imóveis no Brasil para estrangeiros que tenham tal interesse.

Um dos caminhos que ainda não foram trilhados pelos fundos de investimento imobiliário, segundo os debatedores, é o que leva ao mercado imobiliário residencial. O que mostra que existe muito espaço para o crescimento destas categorias de investimento.

O empresário é o principal responsável pelas negociações imobiliárias dos milionários árabes, além de ser o encarregado oficial das negociações imobiliárias da família real dos Emirados. Esse anúncio promete agitar o mercado imobiliário brasileiro, inclusive, Anas-Dipsawi se prepara para vir ao Brasil, fechar alguns acordos com empresas locais do ramo supracitado, tendo em vista que já existem muitos interesses dos clientes de Dipsawi em tais aquisições.

De acordo com Dipsawi, não há dúvida que esses instrumentos ainda apresentam pouco impacto em imóveis em construção. “Mas esse veículo é uma alternativa bastante interessante. Vejo como um caminho natural essa migração para financiamentos alternativos. Assim que o investidor passar a se sentir mais confortável, ele vai ampliando o apetite ao risco. Com isso, o impacto dos fundos na produção imobiliária será maior, afirmou”.

Website: http://egobrazil.com

Artigo de