Profissional da Indústria de Alimentos descobre os segredos para atuar com mais segurança e ampliar suas oportunidades em consultorias

Belo Horizonte, Minas Gerais 9/10/2020 –

Responsável Técnica e Consultora, Renata Alvarenga conta como tem conduzido sua carreira com confiança e domínio crescente sobre os processos na Indústria

A insegurança é uma grande inimiga de muitos profissionais que não conseguem entrar no mercado de alimentos ou, quando entram, encontram-se despreparados para desempenhar suas funções. Renata Alvarenga vive uma realidade diferente. Com muito esforço e busca pelo aprendizado, ela tem conseguido driblar um mercado exigente e conquistar sucesso em sua carreira.

Renata formou-se em medicina veterinária na metade de 2008 e passou vários anos como Responsável Técnica de uma loja agropecuária, fazendo um pesado trabalho em diversas fazendas. Em 2014, passou no processo simplificado do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), quando começou a trabalhar com inspeção. Tempos depois, ela saiu do IMA e começou a visitar as indústrias que fiscalizava oferecendo seus serviços.

Desde 2016 ela atua como Responsável Técnica em várias empresas na área de laticínios, carne e derivados, ovos e uma fábrica de ração. Além disso, ela presta consultorias elaborando projetos para registro no SIM, SIE ou SIF, fazendo adequações em croquis de rótulos, elaborando programas de autocontrole e realizando treinamentos de equipe.

Nas palavras de Renata, “hoje eu considero que os próximos passos da minha carreira estão encaminhados. Mas sempre falo, quanto mais estudo, mais vejo a necessidade de estudar. A necessidade de melhorar e sempre estar buscando conhecimento não pode parar, me monitoro para não entrar numa zona de conforto. Não sei o dia de amanhã, penso sempre que tenho que estar adiantada e prestar um serviço acima da média”.

Essa sede por conhecimento e especialização fez Renata tomar uma importante decisão no início de 2019. Após fazer um curso de BPF com uma das professoras do Ifope Educacional, ela conheceu os cursos da instituição e decidiu iniciar a Pós-Graduação em Gestão da Qualidade, Higiene e Tecnologia de Produtos de Origem Animal.

Iniciar uma pós-graduação foi apenas o primeiro passo para lidar com um mercado diverso, cheio de nuances e que parece cada vez mais exigente.

“Alguns clientes têm um padrão de exigência altíssimo, já outros são bem amadores. No geral, dá para acompanhar, mas o mercado está mais exigente. Os que são mais profissionais te cobram mais e é para esses que precisamos melhorar”, afirma Renata.

Essa diversidade de exigência é atenuada pelo fato de os clientes atuarem com produtos diferentes. Renata trabalha com laticínios, ovos, carnes e mais. Uma rotina que exige conhecimento profundo e diversificado. Felizmente esse é mais um obstáculo que vem sendo driblado por ela.

“O que facilita a relação entre os conhecimentos de diferentes tipos de produtos de origem animal é que a base acaba sendo a mesma, o difícil são as peculiaridades de cada indústria. Normalmente os clientes te bombardeiam com tantas perguntas e você, para não passar vergonha, estuda mais. Aí o desconhecido vira rotina. Esse também foi um dos motivos para eu ter procurado uma pós na área, para dar mais profissionalismo ao meu trabalho e aprofundar o conhecimento, passando mais embasamento e credibilidade para os clientes”, conta Renata.

Na consultoria, a relação com o cliente pode ser muito complexa, portanto, é importante ter segurança e domínio de tudo para não perder negócios por motivos bobos. Por exemplo, é comum existirem clientes que não entendem e não valorizam as especializações. No entanto, “quando a corda aperta”, mesmo estes acabam querendo saber quais são os conhecimentos do profissional e, se ele não atender, pode perder uma vaga.

Esse é um dos grandes ganhos de se especializar e se aprofundar no conhecimento da sua área. Aliás, na visão da própria Renata, o próprio título conquistado ao final do curso poderia abrir novas oportunidades.

Ela também teve que lidar com o desenvolvimento de um conhecimento prático e concreto e conta como foi amparada quando viu, no curso, exemplos das mesmas dificuldades que passa na indústria e descobriu como agir para resolvê-las. Isso sem falar das muitas planilhas e ferramentas que puderam ser atualizadas para a realidade dela.

“As aulas são bem didáticas e práticas, você percebe que os professores têm conhecimento prático e os exemplos são concretos, não ficam apenas no raso. Te dão exemplos das mesmas dificuldades que você passa na indústria e como agir para resolvê-las. Estou usando muito o material, muitas planilhas que conseguimos atualizar para nossa realidade. Ganhei muito conhecimento, tenho agora muito para me ajudar em planilhas, treinamentos… Além disso, aprofundei conhecimentos que uso diariamente. Não pensei que acertaria tanto na escolha, essa pós fala exatamente o que trabalho”, garante Renata.

Ela ainda tem algumas dificuldades como, por exemplo, convencer as pessoas a fazer o que é preciso (tanto proprietários, quanto colaboradores). Quando os proprietários têm interesse no serviço de RT apenas por uma obrigação imposta pela fiscalização, geralmente eles não estão realmente interessados em melhorar os processos da indústria.

Como a cultura dos donos facilmente se espalha pela organização, dar treinamentos e se comunicar a fim de resolver grandes questões se torna um problema. Mas são os próximos obstáculos que, à medida em que avançar em seus estudos, logo Renata irá superar. Ela tem acesso ao curso do Ifope de Liderança e Gestão de Pessoas, uma ferramenta que pode ajudar a passar por mais esse obstáculo.

Assim, pensando em sua carreira, está tudo bem mais próximo. Superar as adversidades e alcançar sonhos profissionais serão uma realidade num futuro próximo de Renata.

“Hoje trabalho como RT e em projetos para registrar as indústrias nos órgãos fiscalizadores. Mas o que gosto mesmo é de fazer projetos. Minha pretensão é que um dia possa viver financeiramente trabalhando só com isso. O setor acadêmico também me inspira, mas ainda sinto que está muito distante da minha realidade”, articula Renata.

Ainda existem objetivos mais distantes e muito trabalho para ser feito. Daqui 5 anos, Renata diz que se vê fazendo só projetos e ministrando treinamentos para os colaboradores. Será uma grande conquista para uma carreira que pode ir muito além, tudo através de muito esforço, confiança, segurança e conhecimento prático.

Website: https://www.ifope.com.br/

Artigo de