Especialista dá dicas de storytelling nas redes sociais durante a pandemia

São José do Rio Preto, SP. 9/10/2020 – O storytelling gera vida, significa um cenário. Provoca nas pessoas sentimentos de alegria, tristeza, êxtase e cativa a audiência”

Com aumento de 40% no uso das redes sociais, saber como contar boas histórias é um diferencial para o empresário se destacar

No mundo corporativo, falar e escrever bem, saber contar uma história e persuadir positivamente, são diferenciais para o sucesso profissional. Um empreendedor ou autônomo, por exemplo, que sabe se posicionar e se comunicar como especialista na área em que atua, certamente, tem mais chances de fechar novos negócios, em relação àquele que não se expressa bem. Para conquistar esse posicionamento, o empresário pode usar a técnica do storytelling, aplicada por roteiristas de filmes do cinema.

Do termo em inglês, “story” significa história e “telling” a ação de contar ou narrar, portanto, a técnica é considerada a arte de contar boas histórias. Sua finalidade é prender a atenção das pessoas, envolvê-las até o desfecho da narrativa. Nas últimas três décadas, ela começou a invadir o universo corporativo na tentativa de encantar e convencer clientes da credibilidade das empresas. Com a evolução digital, o storytelling ganhou ainda mais espaço e durante esse período de pandemia contar boas histórias no meio on-line tornou-se um diferencial.Dados da Kantar, marca especializada em pesquisa de mercado, revelam que, no pico da pandemia no mundo,o uso das redes socais, como o Facebook, WhatsApp e Instagram, tiveram crescimento de 40% no período.

De acordo com Carol Mendoza, especialista em personal branding e marketing digital, de São José do Rio Preto (SP), as redes sociais são vitrines para as empresas divulgarem seus serviços. Com o crescimento de seu uso na pandemia, destaca ser o momento ideal para o empresário utilizar as técnicas do storytelling para contar boas histórias e, assim, aumentar o número de visitas e visualizações em páginas e perfis, agregando valor à marca pessoal no meio on-line. “Nas redes sociais, poucas pessoas leem o que está escrito, logo, uma história contada de forma simples, objetiva e que desperta a interação do público pode fazer muito mais sucesso e trazer ótimos resultados”, diz.

No meio digital, para trabalhar essa técnica de comunicação, o personal branding precisará saber os pontos fortes e fracos do cliente, para conseguir construir e propor uma nova narrativa que chame a atenção do público. Segundo Carol, há cinco aspectos que ajudam a construir essa narrativa nas publicações, são eles: o personagem (a história do próprio empresário); a quebra de rotina (algo que seja diferente para contar); o conflito (quando o empresário resolve algo); a verdade humana (alguma revelação positiva para fazer) e a transformação (história de superação, ensinamento).

Dentro do marketing, a área em que a técnica está inserida, principalmente, é a de conteúdo e a de vídeo. Segundo a especialista, estamos na era do relacionamento, por isso, é necessário compartilhar histórias que atraem as pessoas para perto do empresário, ao invés de afastá-las.”O storytelling gera vida, significa um cenário. Provoca nas pessoas sentimentos de alegria, tristeza, êxtase e cativa a audiência”, completa.

Storytelling na criação de conteúdo

“Histórias lidas no momento certo, jamais te abandonam”. A frase é do reconhecido escritor e roteirista britânico Neil Gaiman – referência mundial do storytelling – e corrobora a influência positiva que a arte de contar boas histórias exerce na vida das pessoas.

A especialista Carol Mendoza enfatiza que para colocar em prática a técnica nas redes sociais é necessário domínio de escrita, além do uso de estratégias de branding, para saber como e quando realizar as publicações. “O ideal é um profissional da área digital interpretar as informações técnicas das plataformas e propor os conteúdos que devem ser abordados”, conta. Para ajudar, Carol separou seis tipos de ferramentas do storytelling, pontuando como o empresário pode aplicá-las na criação de conteúdo nas redes sociais:

1 – superpoder: saber e divulgar aquilo que o empresário faz bem na vida profissional e/ou pessoal.

2 – vulnerabilidade: divulgar os pontos fracos no meio on-line sempre buscando melhorá-los. As pessoas vão se identificar com o empresário.

3 – momento de Identificação: mostrar a rotina, as fragilidades e, principalmente, as vitórias.

4 – amuleto: você tem algum objeto? Uma caneca, um livro? Compartilhe com a audiência, com o público.

5 – quebra de Expectativa: divulgar algum tema ou informação atual. Informar as expectativas, possibilidades positivas para as pessoas saberem a opinião do empresário.

6 – universo Inspiracional: demonstrar emoções. Expor momentos com a família, hobbies ou gosto musical, por exemplo.

Sobre a especialista:

Carol Mendoza é jornalista e pós-graduada MBA em Marketing. Atua, diretamente, nas redes sociais, com gestão de conteúdo, identidade visual e branding pessoal. Realiza consultorias e mentorias para micros e pequenos empreendedores para o mercado digital.

Texto: Renan Polizio

Website: https://www.carolmendoza.com.br/

Artigo de