Estudos apontam crescimento da intenção de compra por imóveis no Brasil

Salvador, BA 25/9/2020 – “Os próximos lançamentos poderão ser mais caros do que os imóveis disponíveis no mercado atualmente”, ressalta Segura.

De acordo com a Datastore, há 11,6 milhões de famílias dispostas a comprar um imóvel em até dois anos; na Bahia, julho apresentou crescimento de 7% em vendas.

Um estudo realizado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e a empresa de consultoria Brain, aponta que 40% dos consumidores têm intenção de comprar imóvel nos próximos dois anos. O índice apresentado na pesquisa de Indicadores Imobiliários Nacionais mostra uma retomada do interesse por imóveis desde o início da pandemia, com elevação da curva de crescimento no segundo trimestre do ano.

O diretor da Santa Emília Empreendimentos, responsável pela construção de mais de 2.200 unidades (18 empreendimentos), em Salvador, na Bahia, nos últimos 20 anos,  e hoje conta com três residenciais de alto padrão prontos para morar, além de empreendimento comercial em construção, Leonardo Segura, credita essa procura continuada aos efeitos da pandemia e a queda da taxa SELIC, a mais expressiva da história. Para ele, o momento apresenta melhores condições para quem quer morar ou investir.

“Para quem quer morar, os juros baixos proporcionam contratos de financiamento muito mais baratos. E pra quem quer investir, não existe opção mais segura e rentável do que um bom imóvel”, alerta o Leonardo, ressaltando que a pandemia causou grande aumento nos preços dos materiais de construção. “Os próximos lançamentos poderão ser mais caros do que os imóveis disponíveis no mercado atualmente”, ressalta Segura.

Com estudos sobre o setor imobiliário aberto ao público desde 2007, a Datastore também realizou um levantamento de dados sobre a intenção de compra entre os brasileiros, e o resultado aponta que o índice saiu de 32% em janeiro para 51% em agosto, o melhor resultado desde o início das pesquisas. De acordo com a agência, os indicadores apontam que são 11,6 milhões de famílias dispostas comprar um imóvel em até dois aos.

Se por um lado o interesse em adquirir um imóvel cresceu entre os brasileiros, na Bahia o volume de vendas também apresentou evolução no comparativo entre julho de 2020 e o mesmo mês em 2019. “Em julho, o número de unidades comercializadas já foi 7% maior que no mesmo período do ano anterior”, revela Cláudio Cunha, presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário na Bahia (Ademi-BA).

Entre as ofertas do mercado baiano, prontos para morar e com excelente procura estão o Monreale, localizado em um dos bairros mais desejados da capital, devido a sua ampla infraestrutura e facilidade de acesso, a Pituba, com apartamentos de 117m², com 4/4 com duas suítes;  além do Residencial Jardim Imperial, no bairro Cidade Jardim, com playground descoberto com mais de 2.000m² e quadra de esportes em tamanho oficial, unidades de 87m², com 3/4 com uma suíte, e 112m², com 4/4 com uma suíte, da Santa Emília Empreendimentos. Também em Salvador, a empresa tem disponível as últimas unidades do Residencial Palácio das Artes, localizado a poucos metros do Shopping da Bahia, no Caminho das Árvores. São apartamentos de 102m², com ¾, uma suíte e ampla varanda.

Website: http://www.staemilia.com.br

Artigo de