Ataques cibernéticos: prevenção ainda é a melhor saída

São Paulo, SP 23/9/2020 –

Para Dario Caraponale, sócio-fundador da Strong Security, é preciso ter uma rotina de testes para reconhecer riscos e fraquezas

Os ataques cibernéticos, normalmente realizados pelos hackers, estão mais perto do que muitos imaginam. E estes vêm da vida pessoal, com momentos corriqueiros, como invasão de contas de jogos, documentos ou informações bancárias e chegam a dados corporativos, que podem causar sérios prejuízos.

Não tem jeito: esse tipo de acontecimento já se tornou recorrente e, atualmente, é uma preocupação – principalmente das corporações. E os números mostram o por quê: segundo pesquisa disponibilizada pela RiskBased Security, 3.813 ataques foram denunciados no primeiro semestre do ano passado. O número é 52% maior quando comparado ao mesmo período de 2018.

Explicando

Dario Caraponale, sócio-fundador da Strong Security Brasil, empresa especializada em segurança, compartilha um exemplo de ataque recente. “Tivemos o caso de empresas internacionais monitorando e vigiando usuários de aplicativos de conversas. Isso mostra como ninguém está a salvo de passar por isso”, comenta.

“Quando somos lesados de alguma maneira por invasão em nosso internet banking ou perdemos alguma conta de nossas redes sociais é um caso de ataque hacker, também”, compartilha. Mas não para por aí: grandes corporações também já foram lesadas e contornar a situação nunca é fácil. O que fazer, então, para reforçar a segurança e fazer com que esse tipo de ataques fique o mais longe possível?

O empreendedor comenta que a melhor solução é a prevenção. E, pensando nisso, Dario desenvolveu uma solução, que faz parte do portfólio de sua empresa desde 2017.

Solução eficaz

“Temos um Teste de Invasão. De modo geral, utilizamos um conjunto de técnicas para testar a vulnerabilidade e riscos em dispositivos de rede, firewalls, servidores e aplicações”, comenta. Todos os testes são realizados utilizando abordagens efetivas, seja de maneira terceirizada ou por meio da capacitação da equipe local. “Quando capacitamos um profissional da própria empresa, conseguimos garantir a periodicidade e manutenção necessária”, diz Dário.

Para finalizar, Caraponale ressalta alguns dos benefícios de implementar e tornar o teste rotineiro. “Com isso, é possível identificar exposições em aplicações web, vulnerabilidades e até mesmo verificar controles de segurança já existentes. Assim, fica muito mais fácil agir e executar ações assertivas”.

O curso de formação oferecido recebe nome de “Hacker Ético”, e garante o certificado CEH – Certified Ethical Hacker. Para saber mais, basta acessar: https://www.strongsecurity.com.br/teste-de-invasao/

Website: https://www.strongsecurity.com.br

Artigo de