Ao Sagrado Cardeal

Cardeal, alto dignitário da Igreja Católica,conhecidos como purpurados ou príncipes da igreja, são facilmente reconhecidos por sua indumentária vermelha e por sempre estarem ao lado do Papa.

Que por sinal, se tratando de religiosidade e paz de espírito, temos também uma ave do gênero Paroaria, um passeriformes que voa deslumbrante pela caatinga nordestina e faz ecoar seu canto entre o silêncio sofrido da terra batida.
Carga emocional tão latente e tão semelhante, quanto a vida dos negros migrantes expulsos da região central pela exploração comercial e que começaram a se expandir para o entorno norte do mapa.
O Signo da cidade!
Tão sofrida terra batida como a vermelhidão e a lama que se estendiam naquele labirinto de ruas e pequenos córregos que circundam o Parque Peruche, ali ele fora o bamba de fato, a onipresença do Pai, amigo e irmão de muitos.
Aquele que estendia a mão a quem precisava e se ouvia a benção através do samba, ali entre a cocheira dos cavalos e o surdo de marcação, nascera aquela que para ele se tornaria o seu “Vaticano”: Unidos do Peruche.
Alí o encontro dos povos era feito através do ritmo, do prazer da dança e da celebração as matrizes africanas, a sua comunidade descia abençoada pela Santíssima Trindade e se encontrava, se envolvia e se misturava.
Dali em diante, seu canto migrou, mudou, mas jamais emudeceu.
Ele ganhou vida, cores, se criou, se materializou e ajudou a oficializar tudo que vemos hoje!
Ganhou Lutas, mas também perdeu e mesmo assim não esmoreceu, canalizou forças e aprendeu que a maior maneira de vencer é sendo derrotado.
Chorou pelas partidas, pelas conquistas e por seu pavilhão!
Mas jamais perdeu a alegria e a emoção que aquele batuque vindo do interior lhe proporcionou, o mesmo que desembarcou nas sacas do Largo da Banana, o mesmo que alimentava a alma dos engraxates, o mesmo, o mesmo, o mesmo…
Uma história que a história por si só, não conta.
É Quando o repicar dos tamborins anunciar,
Enquanto ele pode cantar, enquanto ele puder sorrir, enquanto ele puder falar, todos nós teremos o prazer de ouvir…
Parabéns grande Cardeal do Samba Paulistano, Carlos Alberto Caetano, Seu Carlão do Peruche.

Ps: Hoje o Cardeal faz pequenos voos mais tranquilos, mais serenos, mas sempre colocando a sua voz ativa para quem quiser escutar e aprender… como este que vos escreve!

Diney Isidoro