Marca de vinhos cria ação para lembrar que o respeito à diversidade deve ser todo dia

10/9/2020 –

Nos últimos dez anos, houve um avanço no que diz respeito aos direitos homoafetivos. São 54 países que permitem casamentos ou uniões civis entre pessoas do mesmo sexo – mais que triplicou o número de nações na última década.

O Brasil entrou, no ano passado, para lista de países que criminalizam a LGBTfobia, com a decisão do Supremo Tribunal Federal, que equiparou a discriminação a LGBTQIA+ (lésbicas, gays (homossexuais masculinos), bissexuais, transgêneros, travestis e intersexuais) ao crime de racismo.

E, durante a pandemia, em 8 de maio, o STF derrubou a restrição que proibia homossexuais de doarem sangue. A votação considerou discriminatórias as regras da Anvisa e do Ministério de Saúde, que vetavam o ato, tornando-as constitucionais.

Campanha “A vida é doce quando se abre a mente”

Sabe-se, no entanto, que muitas questões relacionadas aos direitos desta minoria precisam ser sempre discutidas. Para tanto, a marca de vinhos Barefoot – que traz no seu DNA o apoio a diversas causas sociais, à diversidade e, acima de tudo, o respeito desde 1988 -, acredita que não se deve deixar esses temas caírem no esquecimento e propõe debates para além de 28 de junho, considerado o Dia Mundial do Orgulho LGBTQIA+.

Para este mês de setembro, a Barefoot apresenta a campanha “A vida é doce quando se abre a mente”, encabeçada pelos influenciadores Bielo e Vitor de Castro, convidados pela marca para abordar de maneira descontraída questões a respeito dos direitos homoafetivos.

“Barefoot acredita que o hábito de beber vinho deve ser divertido e não seguir regras. Tem um senso de comunidade que começa com uma mente aberta e com pequenos passos. Por isso, é uma marca que recebe todos, celebra a comunidade e acredita em aproximar as pessoas. Não poderia deixar de ser diferente também aqui no Brasil, um país cheio de pessoas incríveis que lutam, acolhem e celebram todas as culturas e diferenças”, explica Johannes Bornemisza.

Ação da empresa, que patrocina a Parada do Orgulho e diversas causas e instituições LGBTQIA+ nos Estados Unidos desde 1988, contempla ainda ativação com outros digital influencers e a distribuição de 200 máscaras para a o Casa Florescer, de São Paulo (SP), que atende travestis e mulheres trans em situação de vulnerabilidade.

SOBRE A BAREFOOT

Criada na Califórnia em 1965, Barefoot, a marca de vinho mais vendida e mais premiada nos Estados Unidos, nasceu da paixão de seu fundador Davis Bynum pelo vinho e pelo método livre de pisar as uvas descalço, daí a origem do nome Barefoot. O negócio, porém, cresceu após a chegada de dois empresários visionários que assumiram o comando da vinícola, Michael Houlihan e Bonnie Harvey. Em 2005, Barefoot foi incorporada à Vinícola Gallo, contribuindo para levá-la para os seis continentes e torná-la uma das marcas de vinho mais reconhecidas do mundo.

Assim como encanta à Barefoot fazer vinho, encanta também apoiar pessoas e causas. Desde 1990, a marca realiza por meio de embaixadores, ações mundiais de apoio a comunidades, causas sociais e ambientais. Barefoot possui diversos vinhos, cada um com seu próprio rótulo colorido, representando a diversidade, um dos grandes valores da marca.

A empresa pretende ampliar o número de consumidores de vinhos no Brasil a partir das uvas mais doces. Globalmente, a estimativa é que Barefoot atinja 1 bilhão de dólares até 2025. Com a proposta de sempre elaborar vinhos com extrema qualidade, excelência e que ainda assim estejam ao alcance de todos, Barefoot estabeleceu uma parceria com o grupo chileno de vinícolas Santa Rita Estates, onde são produzidos todos os produtos distribuídos para a América Latina.

Um estudo interno conduzido por Barefoot apontou que metade de todos os novos consumidores de vinho que entram na categoria se dão por meio de uma opção doce. Além disso, diferente do que se acredita, os vinhos doces agradam todas as faixas etárias acima de 24 anos e níveis de renda.

Website: http://www.barefootwine.com.br/

Artigo de