Dia do Médico Veterinário, 9 de setembro, ressalta a importância deste profissional para a saúde pública

São Paulo – SP 9/9/2020 – Médicos veterinários fazem parte das equipes do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf), desde 2011, realizando ações de educação em saúde e visita aos lares.

Segundo o Ministério da Saúde, 50% dos médicos veterinários atuantes se cadastraram para participar e ajudar o Brasil no esforço nacional de enfrentamento à pandemia.

O Brasil ocupa o primeiro lugar no ranking de países com o maior número de médicos veterinários no mundo. “No dia 9 de setembro de 1933, o presidente Getúlio Vargas criou uma normatização para a atuação do médico veterinário e para o ensino de profissão”, salienta Vininha F. Carvalho, editora da Revista Ecotour News & Negócios (www.revistaecotour.news).

O espectro de atuação do médico veterinário é muito amplo, especialmente na área de saúde pública. Pela falta de informação e de conhecimento por parte de políticos, personalidades e profissionais de imprensa sobre esse vasto campo de exercício profissional, acabou causando perplexidade à nomeação do presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Distrito Federal (CRMV-DF), o médico-veterinário Lauricio Monteiro Cruz, para assumir o Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis, do Ministério da Saúde.

Nem todo o mundo sabe, mas 62% dos patógenos humanos conhecidos são transmitidos por animais, além disso, 75% das doenças emergentes tiveram origem na fauna silvestre. De acordo com a Lei nº 5517/1968, o estudo e a aplicação de medidas de saúde pública no tocante às doenças de animais transmissíveis ao homem, às zoonoses, é uma das funções do médico veterinário, um profissional de saúde reconhecido pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS) desde 1998.

“Como consequência, médicos veterinários fazem parte das equipes do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf), desde 2011, realizando ações de educação em saúde e visita aos lares brasileiros para prevenir e diagnosticar o risco à saúde das zoonoses, como raiva, leptospirose, brucelose, tuberculose, dengue e febre amarela, dentre outras doenças que têm animais como hospedeiros ou vetores”, relata Vininha F. Carvalho.

A constante ameaça de novas pandemias originadas na interface homem-animal, como a Covid-19, demonstra a necessidade de colaboração intersetorial, especialmente em vigilância, gerenciamento de riscos, biossegurança e comunicação. Na batalha contra a Covid-19, em 2020, o médico veterinário foi incluído pelo Ministério da Saúde entre os profissionais de saúde que poderiam atuar como voluntários da ação “O Brasil Conta Comigo – Profissionais da Saúde”.

Segundo o Ministério da Saúde, 50% dos médicos veterinários atuantes se cadastraram para participar e ajudar o Brasil no esforço nacional de enfrentamento à pandemia.

A pesquisa do IBGE demonstrou que existem aproximadamente 54,2 milhões de cães, 39,8 milhões de aves, 23,9 milhões de gatos, 19,1 milhões de peixes e 2,3 milhões de outras espécies (répteis, anfíbios e pequenos mamíferos) nas casas brasileiras. Mas, é comum encontrar tutores que pensam que a ida ao veterinário dever ser apenas para tratar alguma doença ou tomar vacinas.

No entanto, a melhor maneira de cuidar da saúde do animal de estimação é a prevenção. Levá-lo com frequência para realizar exames e check-ups, além do reforço anual das vacinas, auxilia na manutenção da saúde e prolonga sua qualidade de vida.

Segundo Lara Volpe, veterinária da Fórmula Natural, as consultas preventivas e check-ups são muito importantes, pois auxiliam no diagnóstico precoce de doenças “Algumas doenças podem apresentar prognóstico favorável quando descobertas em seu estágio inicial. Se o pet for adulto e não apresentar nenhum tipo de sinal clínico, os check-ups podem ser realizados uma ou duas vezes por ano, inclusive aproveitando o momento da vacinação.”.

Seres humanos são extremamente sociáveis e, ao longo da vida, criam laços afetivos com outras pessoas e, também com os animais, permitindo que eles participem de diversas situações, tanto de alegria, quanto de tristeza. E essa relação afetiva com os animais é tão importante que muitos veterinários se mobilizaram para divulgar que 4 de outubro é o Dia Nacional de Adotar um Animal. “Nesta oportunidade, quando se comemora a 20ª edição , quero deixar registrado meu reconhecimento e agradecimento para todos os veterinários que ajudaram a fortalecer esta data, promovendo os princípios desta campanha educativa, visando prestar uma homenagem concreta para São Francisco de Assis, o verdadeiro protetor dos animais”, enfatiza Vininha F. Carvalho.

Website: https://www.revistaecotour.news

Artigo de