Psicóloga lista os cinco passos para uma vida emocional plena

Porto Alegre/RS 26/8/2020 – Quem nunca se flagrou viajando em pensamentos ruins que fizeram o coração palpitar? Ou precisou ter uma conversa consigo mesmo/a para mandar uma “neura” embora?

Em um mundo tão atribulado, em que se exige cada vez mais, e num momento crucial de readaptação ao progresso tecnológico, como manter a saúde emocional? Como ter equilíbrio psíquico para lidar com estes e outros desafios impostos pela contemporaneidade?

Ter uma vida emocional bem gerida e estável é algo muito mais importante do que se imagina. Infelizmente os brasileiros ainda têm um longo caminho a percorrer no que diz respeito à disseminação desta verdade. De modo geral, dão muita importância à saúde física (quando dão!) e se esquecem que seu organismo precisa estar em completo bem-estar, incluindo o mental, para que possam viver vidas plenas e saudáveis.

Mas, num mundo tão atribulado em que se exige cada vez mais e num momento crucial de readaptação ao progresso tecnológico, como manter a saúde emocional? Como ter equilíbrio psíquico para lidar com estes e outros desafios impostos pela contemporaneidade?

Por isso, a psicóloga e Mestre em Teologia, Silvia Queiroz, listou os cinco passos para uma vida emocional plena.

Em sua listagem, em primeiro lugar, a profissional afirma que é preciso entender que a vida emocional começa no cérebro e não no peito. É isso mesmo! Embora os sentimentos mexam com o ar dos pulmões e façam o coração bater mais forte, tudo começa na cabeça, na mente.

Quem nunca se flagrou viajando numa cadência de pensamentos ruins que fizeram o coração dar umas palpitadas a mais? Ou, quem nunca precisou ter uma boa conversa consigo mesmo/a para mandar uma “neura” embora?

Silvia frisa que os pensamentos são determinantes e importantes na vida emocional. Quem sofre de ansiedade ou depressão sabe exatamente o que isso significa. Pessoas com transtornos emocionais precisam aprender a dominar os pensamentos intrusivos que tantas vezes parecem piorar aquilo que sentem. Assim, a primeira dica da profissional é mandar esse pensamento do tipo “inquilino indesejado” embora! Não alimentar ideias catastróficas e procurar se convencer do quão inadequados eles são, mostrando para si mesmo/a os fatos. Observar a realidade e não as conjecturas que o “inquilino indesejado” propõe.

Outro passo proposto pela profissional é ter atitudes positivas consigo mesmo. Ela afirma que ninguém é perfeito, que uns são mais bonitos, outros mais inteligentes e alguns mais criativos, mas que todos os seres são fascinastes e com um potencial muito maior do que são capazes de acreditar. Em anos de carreira, Silvia conta que escutou pessoas e estudou a história biográfica de tantas outras, e que concluiu que pessoas bem-sucedidas em determinadas áreas do saber, da ciência, das artes, enfim, pessoas que se destacaram em suas vidas, todas eram pessoas comuns, que tinham certos talentos específicos e que nem todos têm. Pessoas talentosas em determinadas áreas e ordinárias em outras.

Portanto, a psicóloga sugere descobrir potenciais e aptidões, afinal, todas as pessoas são muito boas em algumas coisas, mas nem todos reconhecem isso. Portanto, exercitar confiar e acreditar em sua capacidade, certamente, transformará a vida emocional de todo ser humano!

Outro passo listado por Silvia Queiroz é buscar ser uma pessoa planejada e ordeira. “Quando a pessoa se preocupa em manter sua vida em ordem, sente que tem o controle da situação e que não é como um barco à deriva. Isso faz com ela se sinta muito melhor. É inevitável! Porque, quando se ajusta a própria vida, cria-se um sentimento de segurança e conforto. Se, por exemplo, ela tiver o controle sobre seu orçamento e vai passear no final de semana no shopping, sente muito mais facilidade e até mesmo paz de espírito para realizar uma compra ou não, somente por saber se poderá pagar pela despesa. Quem não planeja e controla a própria vida, pode sofrer ansiedade, agitação, culpa e, por vezes, desespero”, afirma.

Silvia ainda mostra a importância de ser o mais autônomo e independente possível. Não no sentido de ser uma pessoa desgarradas da família e amigos, maridos e esposas, pais e mães, afinal, todos precisam destas relações e elas são uma das grandes alegrias de se viver. Mas, é preciso se responsabilizar por suas próprias vidas, principalmente na vida adulta.

E, por conta dessa regra não ser tão bem executada por muitos, é incontável o número de pessoas que são muito dependentes e aguardam sempre que as respostas e o socorro venham de terceiros. Isso provoca uma sensação de incapacidade constante. É como ser um marinheiro que não sabe administrar o barquinho da vida. Frustra qualquer um! Ainda, segundo a psicóloga, “Quando se olha para dentro de si mesmo e procura pensar quais soluções dar aos problemas ou apenas buscar as melhores estratégias para alcançar os objetivos que deseja, não apenas se exercita a criatividade (e o brasileiro é um povo criativo, hein?) como ainda alimenta a alma, dá sentido para a vida. A pessoa se sente capaz! Esse é um passo importantíssimo para uma vida emocional plena”.

E por último, mas não menos importante, Silvia dá a última dica: Alimentar seus sonhos! Não ser um “frustrado existencial” que vive a vida sempre como se algo importante tivesse faltando. Ela firma que todo sonho e projeto são passíveis de se tornarem realidade, simplesmente acreditando em como realizá-los. Para isso, que é necessário planejar ações, ter fé, fazer sua parte e, assim, as coisas acontecem. Segundo o grande empresário Jorge Paulo Lemann, “Sonhar grande e sonhar pequeno dá o mesmo trabalho. Mas, pensar grande te liberta dos detalhes insignificantes”. Quando se realiza os sonhos, é comum ficar como crianças animadas e felizes. Recupera-se o vigor para sonhar mais e se permitir coisas antes inimaginadas.

“Infelizmente não existe uma pílula mágica para se viver emocionalmente estável e feliz. Mas, plantando as sementes certas em sua mente, é possível colher frutos magníficos com sabores de plenitude de vida, estabilidade, realizações e felicidade”, finaliza Silvia Queiroz.

*Silvia Queiroz é Psicóloga Clínica, Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas, Mestre em Teologia, Coach e Analista DISC pela SLAC, Escritora, Palestrante e Membro Toastmasters Internacional. www.silviaqueiroz.com.br

Website: http://www.silviaqueiroz.com.br

Equipe Dino