Curso gratuito aborda cavernas e licenciamento ambiental

Belo Horizonte, MG 24/8/2020 – A espeleologia gerar conflitos entre as necessidades do setor econômico produtivo e a preservação ambiental

Carste é um tipo de relevo geológico caracterizado pela corrosão das rochas, um prato cheio para o aparecimento de cavernas, galerias, dolinas, sumidouros, rios subterrâneos e paredões. Segundo o Anuário Estatístico do Patrimônio Espeleológico Brasileiro 2019 do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Cavernas (Ce-Cav), órgão vinculado ao ICMBio, são mais de 20 mil cavernas contabilizadas no Brasil. Desse montante, 44%, está em Minas Gerais. São 8.854 cavernas conhecidas no estado, o que torna a região especial no cenário espeleológico.

Referência no Brasil quando o assunto é pesquisa em cavernas e relevos cársticos, a empresa Carste Ciência e Meio Ambiente vai ministrar, gratuitamente, o minicurso on-line “Introdução ao Licenciamento Ambiental Espeleológico” no dia 28 de agosto, das 9h às 13h. Os interessados podem se inscrever pelo Sympla até o dia 27 de agosto.

O objetivo é promover uma manhã de palestras e debates com especialistas em mapeamento de cavernas, hidrogeologia, geologia e espeleologia (ciência que estuda a formação de grutas e cavernas naturais, bem como os organismos vivos que vivem nesses locais). O curso é recomendado para geólogos, engenheiros de minas, engenheiros ambientais, ambientalistas, biólogos, geógrafos, técnicos, pesquisadores e demais profissionais que atuam na área ambiental e de geociências. No entanto, por se tratar de um curso rápido e introdutório, curiosos e apaixonados por cavernas e espeleologia também devem participar. Haverá emissão de certificado.

Nos projetos para licenciamento ambiental, a avaliação espeleológica pode ser crucial para a viabilidade dos empreendimentos, a depender da localização, fragilidade e importância atribuída a esse patrimônio. A proposta do programa é ensinar, de maneira didática e simples, a importância das cavernas no licenciamento ambiental, monitoramento, técnicas, prospecção, procedimentos no serviço e custos envolvidos.

Além disso, a Carste Ciência e Meio Ambiente pretende abordar as situações complexas relacionadas entre a espeleologia e a compensação ambiental no âmbito estadual e federal, bem como apresentar alternativas para a conservação espeleológica. O diretor técnico da empresa, Augusto Auler, afirma que o tema é relevante diante do fato da “espeleologia gerar conflitos entre as necessidades do setor econômico produtivo e a preservação ambiental”.

Ele explica que as cavernas são tidas como um dos fatores mais complexos do licenciamento ambiental para mineradoras, barramentos e empreendimentos lineares, como rodovias, ferrovias e linhas de transmissão de energia. Segundo Auler, a legislação de espeleologia, de 2008, ainda causa muitas dúvidas. “Queremos dar oportunidade para as pessoas aprenderem, tirarem suas dúvidas e debaterem”, assinala.

– Programação
9h – 9h10 – Abertura – Larice Souza (Gerente da Carste Ciência e Meio Ambiente).
9h10 – 9h30 – Introdução – Augusto Auler (Geoespeleólogo e Diretor da Carste).
9h30 – 10h10 – Avaliação do potencial, prospecção espeleológica e mapeamento de cavernas – Augusto Auler.
10h10 – 10h50 – Relevância espeleológica – André Souza (Geógrafo) e Lígia Moreira (Bióloga).
10h50 – 11h30 – Área de influência espeleológica – Lígia Moreira (Bióloga) e Tatiana Souza (Geógrafa).
11h30 – 12h10 – Avaliação de impactos e compensação espeleológica – Lígia Moreira (Bióloga) e Tatiana Souza (Geógrafa)
12h10 – 12h50 – Monitoramento espeleológico – André Souza (Geógrafo), Carla Nobre (Bióloga).

– Palestrantes
Augusto Auler – Graduado em geologia pela UFMG; com especialização em Hidrogeologia pela Escuela Superior de Ingenieros de Minas de Madrid, Espanha; mestrado em Hidrologia pela Western Kentucky University, Estados Unidos; doutorado em Geografia, Física e Geocronologia pela University of Bristol, Inglaterra; pós-doutorado em Paleoclimatologia pela UFMG. Como pesquisador, é membro do corpo editorial de periódicos internacionais, além de ser assessor científico em relação a temas cársticos junto ao governo da China. É fundador da Carste Ciência e Meio Ambiente.

André Henrique de Souza – Bacharel em geografia pela UFMG; pós-graduado em hidrogeologia subterrânea pela Universidade Politécnica da Catalunha, na Espanha; cursa mestrado na mesma instituição. Possui cinco anos de experiência em espeleologia com estudo de cerca de 2.000 atividades em diferentes projetos, entre eles monitoramento hidrogeológico e espeleológico.

Carla Clarissa Nobre de Oliveira – Possui 15 anos de experiência com estudos de quirópteros, sendo seis deles dedicados aos morcegos cavernícolas, contando com ampla experiência na condução e coordenação de monitoramentos de fauna epígea e cavernícola, incluindo atividades de campo, relatórios e análise. Têm bacharelado e licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Ceará, mestrado em Biologia Animal pela Universidade Federal de Pernambuco e doutorado em Zoologia pela UFMG.

Larice Souza – Mestre em Gestão de processos e sistemas pelo Ietec-MG; administradora pela PUC Minas e pós-graduada em Finanças pelo Ibmec-MG. Gestora da Carste, responsável pelos setores administrativo, comercial e de segurança do trabalho. Atua à frente das questões estratégicas e financeiras da empresa junto com a diretoria há quase 10 anos.

Lígia Maria Saback Moreira Dornellas – Bacharel em ciências biológicas pela UFMG, com pós-graduação em Gestão de Projetos (Ietec). É mestranda em Ecologia, Conservação e Manejo de Vidas Silvestres pela UFMG. Atua desde 2013 na área de bioespeleologia como consultora ambiental. Atualmente, atua na coordenação de projetos da Carste Ciência e Meio Ambiente.

Tatiana Aparecida Rodrigues de Souza – Bacharel em geografia pela UFMG, com mestrado em Geografia e Análise Ambiental pela mesma instituição. Atua há nove anos como consultora ambiental em estudos do carste. É coordenadora técnica de Estudos Geoespeleológicos da Carste desde 2014, com visita a mais de 600 cavernas no Brasil, nos Estados Unidos, na Eslovênia e na China. Atuou em cerca de 40 projetos de espeleologia. É autora de livros e artigos nacionais e internacionais sobre o tema.

Website: https://www.sympla.com.br/introducao-ao-licenciamento-ambiental-espeleologico__935777

Artigo de