Se Deus é por nós, quem será contra nós?

Foto: Keiny Andrade – Folha Imagem

Voltamos a 2005, um ano de mudança no carnaval da cidade de São Paulo. Depois do campeonato da Morada no ano anterior, foi à vez da Caçula do Samba, Império de Casa Verde, conquistar o carnaval, fazendo uma homenagem ao seu patrono, Chico Ronda.

A composição da letra deste samba enredo, que era fácil de cantar, com um bom jogo de palavras e fidelíssima ao desfile apresentado. O samba veio na voz de Carlos Júnior, que deu um belo show musical e levantou o astral da escola com seu vocal.

Em todos os setores da escola, era possível ver o empenho, a felicidade e espontaneidade dos componentes naquele desfile e que por sinal, era a ultima das 8 escolas da sexta-feira. Dentre todas as escolas do grupo especial, a Império foi a mais nova delas a conquistar o 1° titulo. 

“Amanheceu
Desperta amor, é um novo dia
E com o Sol vem meu Império
Nesse sagrado paraíso da alegria”

Esse é o primeiro refrão do samba e literalmente fez jus ao seu desfile, pois o dia amanhecia em um enorme clarão fazendo escola toda brilhar em especial o carro abre-alas, uma nave espacial em azul e branco e as roupas prateadas da comissão de frente que representava os Índios Cibernéticos.

O samba foi muito bem escrito, era objetivo, direto e foi bem retratado pelos carnavalescos da escola, que trabalharam bem nas esculturas das alegorias. Além disso, o samba exaltava o povo brasileiro como pessoas otimistas, guerreiras, que não perdem as esperanças e se viram como pode para o seu ideal.

Numa viagem desbravadora pelo planeta, o homem descobre os males do primeiro mundo e assim retorna ao Brasil percebendo que aqui é a terra abençoada. O desfile é marcado pela mensagem que o enredo trazia e que a escola mostrava sua marca: Alegorias com gigantismo e as fantasias com bom acabamento e riqueza de material. 

Se Deus é por nós, quem será contra nós não é? A Terra abençoada é a guardiã do Patrono Revolucionário Imperial, aquele que bordou o manto azul e branco e hoje é… Império de Casa Verde. 

Erick Eduardo