ÁGUIA DE OURO 2020 Desfilando para o público, mas de olho nos jurados

foto carro abre alas Águia de Ouro
Foto: Acervo Revista Sampa

 

Em 2020 a Águia de ouro conquistou o tão sonhado título do grupo especial e para que isso acontecesse, Mestre Jucá na Live Sampa no Sofá, ontem (02) disse que o segredo foi “desfilar com o regulamento”, essa grande mudança de mentalidade fez a escola brilhar ainda mais. Com essa declaração fica a pergunta: A Escola deve voltar os olhos para o manual do julgador em busca do desfile tecnicamente perfeito?

A resposta é sim, está acontecendo e vai acontecer cada vez mais, o equilíbrio dos desfiles em São Paulo é cada vez maior e a disputa passa a ser decidida nos pequenos detalhes.

Analisando as notas da campeã desse ano podemos perceber que foram apenas quatro notas diferente de dez, que resultaram, devido aos descartes, na perda de apenas um décimo no final da apuração.

Quais detalhes esses 4 jurados enxergaram? Em fantasias o 9,9 foi por causa de duas fantasias apresentadas na ala 1, como pontuou Anerose Perini em sua justificativa, em Mestre Sala e Porta bandeira a jurada Jussara Braga, notou pequenos problemas na finalização dos movimentos, duas notas descartadas conforme o regulamento.

O único quesito que não alcançou a nota máxima foi a comissão de frente, que apesar da bela apresentação, com os dançarinos se revezando e apresentando a evolução do saber saindo de dentro dos livros, os jurados notaram pequenos falhas na sincronia dos movimentos.

Esses pequenos detalhes não são notados pelos espectadores que estão encantados com tamanha riqueza artística que compõe uma apresentação, mas a função dos jurados é essa, e a diretoria das escolas devem estar atentas as informações passadas pelos jurados, para ser capaz de evoluir ano a ano.

A escola que já sofreu com alguns problemas como, estourar o tempo do desfile em 2013, e ver ali infelizmente o “espelho se quebrar” parafraseando o samba, viu também seu samba ser duramente criticado em 2017, como o próprio Metre lembrou durante a Live, soube aprender com cada um dos erros, entender o manual do julgador e sem deixar o brilho e a batucada da pompeia de lado, encantou a todos e de forma técnica realizou o grande sonho de levantar o caneco.

Essa visão do desfile como competição vem se tornando uma marca registrada em São Paulo, deixando o desfile cada vez mais profissional na busca da perfeição, mas sempre com muito brilho e criatividade, garante a nós espectadores apresentações belíssimas e aos jurados muito mais trabalho na busca para definir quem será a próxima campeã do carnaval paulistano

Artigo de ,

Lucas Torres