A Grande Valsa em Vermelho e Amarelo

“Um dos grandes momentos da história da agremiação vista por um outro ângulo”

 

Foto: Ismael Toledo

Pelos mares naveguei
De Viena para novo mundo
E me encantei com o astro rei
O meu sonho mais profundo

Acreditem este foi um dos sonhos mais impressionantes que uma comunidade poderia ter, hoje eu acredito que ainda não temos a dimensão do que fora aquele desfile. Mas para cruzar esta faixa amarela, vamos mergulhar no tempo e relembrar cada passo visto de um outro ângulo.

Voltamos a apuração de 2017, último quesito: Samba Enredo. A nota 9,9 dada pelo Jurado Júlio Lemos escrevia uma nova página na história, por apenas um décimo a agremiação não fora rebaixada a ao Grupo de Acesso, começava assim a remontada da escola.

Ao som dos violinos
Aliança então se fez
Brilha o luxo e a nobreza
Gentileza do marquês

Após o Carnaval de 2017, a escola começa o processo de reconstrução, as alegorias e fantasias retornam ao seu espaço na expectativa de criar novos sonhos. No ano anterior, a alegria nordestina foi cantada através da carreira da cantora Elba Ramalho e após o resultado surgiu a decisão de mudar o compasso.

O Carnavalesco Claudio Cebola e a direção começam a traçar a ligação entre a Imperatriz Carolina Josefa Leopoldina e a escola de samba Imperatriz Leopoldinense. Um trabalho árduo de pesquisa e com uma linha tênue bem segmentada dando glamour necessário ao enredo.

A valsa a bailar
Lindo cortejo a emocionar
O índio a fauna e flora
A beleza em meu olhar
Do rio eu pude ver
O colorido Debret
Ao amor de Pedro me entreguei, me apaixonei

Com este processo definido, a escola tinha que apagar o estigma que carregava a anos e se inserir no hall de candidatas ao título. Logo a agremiação preferiu um processo de escolha de samba fechado, através de audições fora escolhido o samba composto por: Celsinho, Léo Reis, Maradona, Rafa do Cavaco.

O Intérprete Bruno Ribas que havia chegado no ano anterior, tinha a missão de inserir a alma a este samba, que por sinal a cada ensaio apresentava nuances melódicas que seduziam os ouvidos.

Mas logo, faltando 120 dias para o Carnaval, acontece uma mudança, saí Claudio Cebola e entra André Marins, mas o trem que partia do Sumaré a Ramos não podia parar…

Libertei essa nação, Independência
Minha pátria mãe gentil, Meu Brasil
Chorou, a senzala chorou
O lamento do negro ecoou

Com o direito de fazer apenas dois ensaios técnicos, a comunidade se ajusta contra o tempo para alinhar tudo que precisava para mostrar ao mundo do samba a sua obra. No dia 20 de janeiro, a agremiação adentra o Anhembi com um bom contingente e mostra a necessidade de pequenos ajustes para construir o seu espetáculo.

Já no dia 02 de fevereiro, aproveitando o calor noturno, o samba incendeia a pista e impressiona a todos, um bom sinal.

E nos trilhos de ramos tornei-me imortal
Memoráveis desfile do meu carnaval
Simplesmente Rosa, Um Relicário de Glórias
Arlindo em fantasias a brilhar

No grande dia, a agremiação encerraria a noite de desfiles. A tática que já fora usada pelas co-irmãs poderia ser um ponto positivo dado ao luxo do projeto que a escola pensara em apresentar. Parte por parte, as peças foram transportadas para a concentração do Anhembi, com cores fortes e vibrantes elas foram ganhando espalhadas na baía. Silenciosamente o carnaval foi tomando forma.

É ela... Rainha da passarela
Vem da leopoldina a mais bela
Celeiro de bambas
Reduto do samba
O meu sonho de ser feliz
Vem de lá sou imperatriz

As arquibancadas quase que vazias não acreditavam na aula de luxo e riqueza que estava por vir. A escola adentra na avenida e a cada metro que passa, nossos olhos se perdem em cores e brilho, nunca a frase expectativa e realidade andaram juntas como nesta noite.

Desde a concepção artística da Comissão de Frente de Róbson Bernardini ao trabalho de fantasias e alegorias feitas em contrapartida por Cebola e Marins, o que apreciamos foi muito além do que imaginamos. Tudo veio a funcionar com maestria e saímos com a certeza de que viria algo imenso.

A apuração deixou quatro escolas empatadas e o doloroso critério de desempate adiou o sonho desta nação. Para nós sambistas, ficou a alegria de ver este grande momento e a lembrança de ver esta grande valsa em vermelho e amarelo.

Vem festejar coroar essa paixão
Imperatriz num só coração
É carnaval o meu sonho verdadeiro
Sou tom maior
me orgulho de ser brasileiro

Nos vemos na próxima quinta-feira, iremos falar de grandes momentos da Acadêmicos do Tucuruvi.

Axé!

Diney Isidoro