Mães do Samba (Velha Guarda)

        Há mais de  40 anos na mesma agremiação Maria Lucelena dos Santos Pereira mais conhecida carinhosamente por todos como Dona Morena não se lembra ao certo como tudo começo devido a idade, mas se lembra que quando começou na escola a quadra ainda era bem pequena e sofria com os efeitos devastadores das chuvas como as enchentes. Ela se recorda que mesmo com a quadra pequena a confecção das fantasias e também das alegorias eram feitas na quadra.

       Ela uma componente apaixonada por carnaval trabalhava o dia todo e quando chegava corria para a quadra com seus filhos para ajudar no que era preciso, de olho nas costuras  e sempre levando as crianças junto pois eram pequenas e não tinha com quem deixá-las para viver a magia do carnaval. Os filhos foram seguindo os passos da mãe começaram na ala das crianças e depois seguiram para outros setores conforme foram crescendo, como bateria, alegoria, destaques, entre outros. Depois de alguns anos como componente foi convidada a integrar a ala das baianas, onde fez um belo trabalho ajudando na confecção das fantasias e busca por patrocínios. Dona Morena fala das nossas mães do samba com muito amor e carinho, quando a coordenadora da época saiu da escola a mesma foi convidada a para ocupar o cargo, onde seguiu lindamente por vários anos.

        Depois de muitos anos na coordenação Dona Morena sofreu um AVC, teve que desacelerar o ritmo, e foi nesse momento que a diretoria da escola com muito carinho convidou-a para fazer parte da Velha Guarda. Ela é conhecida e querida por todos na escola, pelo seu carinho e cuidado com a comunidade, mesmo com suas restrições sempre está presente em tudo, festas, eventos, confecção de fantasias, em dias de ensaios técnicos, específicos, entre outras atividades, sempre dá um jeitinho de fazer uma comidinha ou um café pra demonstrar seu carinho por todos.

Perguntada sobre seu amor pela S.E.S Imperador do Ipiranga, a mesma nos responde com os olhos embargados:

Sou completamente apaixonada pela minha escola, independente de classificação nos desfiles, meu amor por esse pavilhão é incondicional e estarei lá até o dia que Deus quiser”.

Dona Morena é uma das integrantes mais antigas da velha guarda da S.E.S. Imperador do Ipiranga.

Artigo de

Alessandra Amorim