A garra da Comissão de Frente “JOIA RARA” da Sociedade Rosas de Ouro

 

Foto: Dayse Pacifico

Coreógrafa Helena Figueira conta como foi o processo do carnaval 2020, no qual não faltou força de vontade e determinação de seu elenco

Todos nós sabemos o quanto é difícil, ir da construção a execução de um projeto para o quesito comissão de frente, em especial para esta comissão, que mesmo com tantos obstáculos seguiu bravamente a diante. Em conversa com a coreógrafa Helena Figueira que assume o posto na Sociedade Rosas de Ouro desde 2019, ela nos fala sobre todo o processo de construção e desenvolvimento do projeto para o carnaval 2020 com a temática “Tempos Modernos”.

Helena diz que a ideia inicial do que gostaria de fazer esse ano surgiu logo de início, decidiu-se então que ampliaria o elenco começando as audições em meados de julho e no mês seguinte iniciaria os ensaios. A jornada de ensaios iniciais, costuma-se ter muito treinamento com profissionais de áreas específicas para aulas com o elenco. Ela nos conta também que é da área circense, por isso tem muitos amigos e parceiros que a auxiliam nessas questões do processo preparatório. As aulas seguiram até próximo ao dia do desfile com encontros semanais.

Em meados de outubro em quanto o projeto seguia, veio o primeiro desafio, no qual o projeto não poderia seguir a diante por conta de custos altíssimos. A escola também estava na busca por patrocinadores consistentes e em comum acordo decidiu-se que o mesmo não seguiria. A coreógrafa já estava com seu elenco grande, formado e ensaiando e mesmo assim decidiu não dispensar nenhum componente, empenhou-se junto com a agremiação e com o carnavalesco em um projeto no qual pudesse agregar a todos. Criou-se uma nova ideia, também junto com o carnavalesco André Machado onde Helena seguiu novamente quase do zero recomeçar a rotina de ensaios e aulas especificas.

Mais uma vez o que idealizaram não vingou, tentaram desenvolver mais duas ideias, que também não deram certo. Já na quarta tentativa, pela quarta vez em mais uma nova ideia de projeto, junto com a sua equipe cheia de garra e determinação, finalmente conseguiram pôr fim finalizar o que iriam levar para a avenida. Helena nos fala que foi bastante corrido e bastante desafiador, já que mesmo começando os ensaios em meados de agosto, só conseguiram de forma concreta realizarem ensaios para o projeto que seguiria para avenida somente em dezembro.

Ela nos fala das dificuldades em estar e cuidar dos bastidores da construção de uma comissão de frente, porque além de ajudar na criação do projeto tem toda uma infraestrutura por trás junto como elenco, coreografia, encenação, desenvolvimento da consistência de informação de como tudo isso será repassado ao componente. Também tem a preocupação com a parte manufaturada fantasias, barracão, entre diversas outras funções. Para conseguir executar todos estes processos, ela conta com a ajuda de Alexandre Gregório coordenador da comissão de frente, que chegou na Rosas de Ouro junto com Helena ao seu convite. Alexandre nos fala que esse trabalho foi muito gratificante e bastante desafiador por todas as questões nas quais auxiliou a coreógrafa a resolver, tais como parte burocrática, acompanhar os ensaios com o elenco, entre outros. Por sua vez Helena nos fala que a parte mais difícil e complicada na criação de um projeto como esse, no qual sua matéria prima inicial são as pessoas, é a parte emocional e psicológica. Pois onde se tem um grupo extremamente heterogêneo de formas de vidas diferentes, classes sociais, personalidades, e para que se transforme em um grupo homogêneo, coerente e bom, exige muita entrega. Ela comenta que acaba às vezes se transformando em psicóloga e ajudando a resolver conflitos tanto interno como externos.

Helena também nos conta dos problemas emocionais que a comissão sofreu, como doença, tratamento com familiar de componente, perda de um familiar em dia de ensaio. Diz que foi bastante difícil e complicado lidar com isso, mas que a essa altura do campeonato todos já estavam entrosados e de forma coerente, conseguindo bravamente passar por todos estes obstáculos com muita determinação e garra até o fim. Conseguindo então concluir o objetivo de fazer um lindo espetáculo para o público e um presente a sua escola, sendo então consagrados com a nota máxima.

Alessandra Amorim